Você sabe o que significa a sigla RoHS?

Você provavelmente já deve ter visto essa nomenclatura em diversos dispositivos eletrônicos por aí, mas você sabe o quanto ele é importante para nós. Vem com a gente que iremos explicar tudo para você.

Você sabe para que serve o selo RoHS?

É muito comum encontramos a nomenclatura RoHS “Restriction of Certain Hazardous Substances” em diversos dispositivos eletrônicos que utilizamos em nosso dia-dia. Em uma tradução para o português: “Restrição de Certas Substâncias Perigosas”. Essa nomenclatura é uma diretiva criada em 2003 pela União Europeia que veio para proibir a utilização de substâncias nocivas a nós e ao ambiente durante o processo de fabricação de produtos eletrônicos. Os produtos proibidos nessa diretiva foram:

    • cádmio (Cd)
    • mercúrio (Hg)
    • cromo hexavalente (Cr(VI))
    • bifenilos polibromados (PBBs)
    • éteres difenil-polibromados (PBDEs)
    • chumbo (Pb)

Essa legislação entrou em vigor em 2006 restringindo produtos que contenham mais do 0,1% do seu peso em produtos restritos de serem vendido em toda União Europeia. A exceção para o cádmio, que pode ter uma concentração de no máximo 0,01%.

Com o passar dos anos e com a globalização, rapidamente outros países adotaram diretrizes parecidas com RoHS, além de se tornar uma norma em mercados internacionais.

E qual é a real intenção dessa diretiva?

A intenção dessa diretiva é tentar diminuir as consequências da poluição gerada pelo descarte dos eletrônicos, que em sua grande maioria é feita de maneira indevida. Esses materiais descartados no meio ambiente de maneira indiscriminada contaminam o solo ou podem ser levados pela chuva, contaminando o lençol freático, gerando impactos ambientais bem sérios, ainda mais se pensarmos no volume de lixo que geramos a cada dia com o descarte de eletroeletrônicos.

Os impactos gerados com o RoHS.

Com a vigência do RoHS os fabricantes tiveram que se adequar, utilizando outros materiais na construção de seus dispositivos, gerando assim um acréscimo considerável em sua fabricação. Antes da alteração, para fixar os componentes na placa principal se utilizava a solda composta por 60% estanho e 40% chumbo. Com a entrada do RoHS não era mais permitido a utilizado do chumbo, substituindo por prata, cobre e o bismuto. Materiais mais caros comparados com os materiais anteriores.

E ai, já sabia dessa informação? Isso irá mudar seu consumo de eletrônicos? Conta para gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *